Inscreve-te e tem vantagens!

The Big Sick(2017)

Há 2 anos | Comédia, Drama, Romance, | 2h0min

de Michael Showalter, com Kumail Najiani, Zoe Kazan, Holly Hunter, Ray Romano e Anupam Kher


Muitos dizem que as comédias românticas estão mortas, e verdade seja dita, para lá caminhavam, muito devido às histórias terem deixado de ser atraentes para roçarem o ridiculamente previsível e cliché.

Mas eis que este ano surge uma luz ao fundo do túnel, em grande parte devido ao excelente The Big Sick, que hoje vos trago.

Realizado por Michael Showalter e baseado na história verídica do comediante Kumail Nanjiami, o filme é construído em volta das premissas habituais (boy meets girl, boy loses girl, boy gets girl back – rapaz conhece rapariga, rapaz perde a rapariga, rapaz consegue a rapariga de volta), mas é feito com tal originalidade e suavidade que faz com que tudo pareça novo. Tem como essência o humor e a forma inteligente como este pode ser usado para abordar o lado mais complicado da vida e para mostrar que por vezes encontrar o amor não significa que tudo se descomplique, muito pelo contrário.

Tudo se passa em Chicago, onde Kumail (personificado pelo próprio), um jovem Paquistanês condutor da Uber e comediante nas horas vagas, se apresenta em standup num comedy club. Após o espetáculo conhece Emily (Zoe Kazan), uma estudante de psicologia, e rapidamente se conectam.

A evolução do relacionamento complica a vida de Kumail, principalmente devido à sua origem muçulmana e ao estilo de vida tradicional que os seus pais querem que leve.

Quando Emily adoece gravemente, o protagonista vê-se no meio de uma guerra, por um lado ter de lidar com a doença e com os pais de Emily, por outro ter lidar com o que sente e com o que a família espera que ele seja.

Em pleno 2017 não precisamos de finais felizes, o que queremos são histórias com as quais nos identifiquemos realmente, amor que se pareça com o nosso, confuso e indeciso. E The Big Sick é isto. Inteligente, sensível e hilariante, é uma lufada de ar fresco no universo das comédias românticas, que, admitamos, há muito que necessitava disto.


Pedro Freitas
Outros críticos:
 Sara Ló:   8
 Rafael Félix:   8
 Filipe Lourenço:   8