Inscreve-te e tem vantagens!

Snowpiercer(2013)

Há 4 meses | Ação, Drama, Sci-Fi, | 2h7min

de Bong Joon Ho, com Chris Evans, Kang-ho Song, Jamie Bell, Tilda Swinton, John Hurt, Octavia Spencer, Ko Asung e Ed Harris


Sempre disse que Bong Joon-ho era dos meus realizadores favoritos. Um cineasta com um estilo visual muito destacável e uma realização que opta sempre em fazer um misto perfeito de géneros em cada uma das suas longas-metragens. Quando foi galardoado em Cannes e nos Oscars com a sua obra-prima Parasite (2019), senti orgulho por ter acompanhado toda a sua carreira.

Bem, vamos ao que interessa. Estreou dia 25 de Maio a série Snowpiercer na Netflix, baseada neste filme que vos trago hoje. Então, aqui vou eu. Snowpiercer de Bong Joon-ho é uma experiência a não perder na vida. É espetacular e um dos meus filmes preferidos. Se a série é baseada nesta longa-metragem, o filme, por sua vez, é adaptado da banda desenhada francesa: Le Transperceneige (1984).

O que nos conta o filme?

2031. Após uma experiência falhada, o mundo ficou num post-apocalypse congelado. Os últimos sobreviventes estão a bordo de um comboio gigantesco, que circula em volta da Terra, sem parar. Dentro do comboio, as carruagens estão divididas por classes sociais. É muito simples: a classe social-baixa está atrás e a social-alta à frente. Seguimos o grupo dos “pobres”, que vivem em condições horríveis, cujo idoso Gillian (John Hurt) convence Curtis (Chris Evans) a assumir a liderança e iniciar uma revolução. Curtis e os seus vão avançar de carruagem em carruagem para descobrirem novas verdades.

Bong Joon-ho apropriou-se do universo da banda desenha, para colocar todos os seus ingredientes preferidos: a luta das classes sociais e o misto de géneros num filme. Cada carruagem do comboio permite ao cineasta em alterar TODOS os códigos da sua realização. Temos de tudo: sci-fi, thriller, drama, horror, ação, ou ainda, comédia negra. Cada carruagem é literalmente “um novo filme”. Bong utiliza a sua câmara de acordo com a movimentação das suas personagens. Como o objetivo é andar de carruagem em carruagem – numa narrativa linear – a sua realização acompanha todos os passos de cada personagem numa ordem específica.

Embora estejamos sempre dentro do comboio, não sentimos o ambiente claustrofóbico da coisa, muito pelo contrário, sentimos um universo coerente, rico e bastante funcional. Nunca nos perdemos neste comboio. Muito se deve à fotografia e à arte. Todos os décors são de louvar.

Estamos constantemente surpreendidos com as ações dos protagonistas. Os 30 primeiros minutos são pausados e explicam ao espetador como este universo funciona. O acting do elenco é brilhante. Chris Evans tem a melhor performance da sua carreira, Tilda Swinton é hilariante e transpira overacting assumidíssimo, Kang-ho Song (o ator vedeta do realizador), John Hurt, Jamie Bell e Octavia Spencer também estão muito bons.

Snowpiercer é a obra culminar da carreira de Bong Joon-ho (antes de Parasite). É uma espécie de blockbuster recheado de cinema de autor, que é para ser visto por um público específico, contudo, bastante acessível. Revela com brio as monstruosidades do homem e de como a vida não pode ser controlada, denunciando o cinismo do poder absoluto. Garanto-vos que não ficarão indiferentes com o final. Se amaram Parasite e quiserem descobrir mais sobre a carreira do realizador coreano, Snowpiercer é feito para vocês.


Alexandre Costa
Outros críticos:
 Pedro Horta:   8
 Bernardo Freire:   8