Inscreve-te e tem vantagens!

Westworld - 2ª Temporada (2018)

Há 2 anos | Drama, Mistério, Sci-Fi, Western, |

de Jonathan Nolan e Lisa Joy, com Evan Rachel Wood, Thandie Newton, Jeffrey Wright, Ed Harris, James Marsden, Tessa Thompson e Anthony Hopkins


A série mais mediática da HBO (após Game of Thrones 2011-) retorna onde deixou o último episódio da primeira temporada. De um modo binário, todo o equilíbrio e poder é agora invertido. Os hosts (hospedeiros) dominam os visitantes do parque aka os humanos. Imortalidade e livre arbítrio são os dois principais temas desta segunda temporada.

Agora, Dolores (Evan Rachel Wood) assume o controlo da rebelião, entre as suas múltiplas personalidades e várias emoções, que indubitavelmente controla. Descontente, livre e sobretudo determinada, ela envolve-se num verdadeiro confronto contra os seres humanos. Maeve (Thandie Newton) preocupa-se em encontrar a sua filha, juntamente com a ajuda do argumentista do parque Lee Sizemore (Simon Quarterman) e da sua equipa de bandidos. Maeve possui um senso de maternidade mais forte que o desejo de liberdade.

Resumidamente, as vítimas tornam-se os novos tiranos. “Eles não são como nós” é a base de Dolores nesta nova temporada. O sangue flui de verdade, colocando-nos diante de uma verdadeira reviravolta na história e fazendo-nos questionar moralmente.

Devemos ficar alegres com esta reviravolta dos hosts matarem os humanos? Será que a série parece mais violenta porque as mortes são de seres humanos?

O parque Westworld deixa de ser um entretenimento, passando a uma verdadeira caça humana. As motivações das personagens são claras e bem definidas. Dolores quer aniquilar o parque, Maeve quer encontrar a sua filha, William procura o seu último segredo e os restantes hosts desejam encontrar a saída deste mundo, tal como em The Truman Show (1998). As novas personagens são SUPER bem introduzidas, como Akecheta (Zack McClarnon, visto na série Fargo) que se tornou um dos meus personagens favoritos.

Nolan e Joy construíram uma série sólida, em torno de inúmeros sentidos de interpretação – que por vezes tornam elementos narrativos incompreensíveis – até à última reviravolta.

O Homem é comparado a um Deus criador, por estar na origem da criação de uma nova espécie (os hosts). O nascimento da consciência dentro das próprias criações é tão bem construído, que é impossível o espetador não acreditar. O facto do sofrimento ser a origem das ações e da consciência, faz-nos agarrar às motivações dos hosts.

Tecnicamente é incrível, a realização é estudada. A busca de planos simétricos, ajuda-nos a orientar as ações dos personagens ao longo da temporada. A fotografia faz-nos esquecer que estamos a ver uma série, isto é cinema. Cinema puro! Mais uma vez a banda sonora de Ramin Djawadi é magnífica, os vários planos aéreos da beleza do parque são sublimemente acompanhados por esta.

Todo o elenco, tal como na primeira temporada, está impecável. Menção especial à Thandie Newton, que ganhou o Emmy de Melhor Atriz Secundária numa Série Dramática, na cerimónia de 2018.

Ainda que os três primeiros episódios “custem” a arrancar, o quarto é uma bomba, permitindo seguir até ao fim sem parar. Se gostaram da primeira temporada, não tenham medo de ficarem desiludidos. A segunda temporada de Westworld é genial. 


Alexandre Costa
Outros críticos:
 Alexandre Costa:   10Abrir
 Alexandre Costa:   8Abrir
 Sara Ló:   9
 Margarida Nabais:   10
 Filipe Lourenço:   8
 Raquel Lopes:   9
 Rafael Félix:   10